Hoje é o Dia Nacional do Livro Infantil e Dia de Monteiro Lobato!

Autor(a):

O dia 18 de abril é celebrado o Dia Nacional do Livro Infantil. A data foi escolhida em homenagem ao nascimento do grande escritor brasileiro Monteiro Lobato que, com maestria, debruçou grande parte de suas obras à literatura infantojuvenil. A celebração ainda está pautada na Lei n° 10.402 de 2002.

 

MONTEIRO LOBATO E SUA REPRESENTAÇÃO NA LITERATURA INFANTIL

José Bento Renato Monteiro Lobato (1882-1948) foi um escritor e editor vinculado ao movimento do Pré-Modernismo no Brasil, período que precedeu a Semana de Arte Moderna de 1922, e contribuiu com obras de grande destaque à literatura, tendo como maior renome O Sítio do Pica-pau Amarelo.

Dentre o público infantil, Monteiro Lobato é renome não apenas em território nacional, mas em toda América Latina. Publicou em 1920 seu primeiro livro infantil A menina do narizinho arrebitado, obra de grande sucesso e que imortalizou personagens ícones, tais como Narizinho, Pedrinho, Emília, Tia Nastácia, Visconde de Sabugosa e Dona Benta não apenas nos livros, mas em programas de TV desde os anos 1980 até 2000.

Ainda, criador da Editora Monteiro Lobato e da Companhia Editora Nacional, o escritor é lembrado pelo caráter nacionalista e social, retratando em suas obras o universo dos vilarejos decadentes e a população do Vale do Paraíba, quando da crise do café.

 

EDUCADOR: TRABALHE COM MONTEIRO LOBATO EM SALA DE AULA

Na biblioteca da Uniandrade você encontra diversas obras de Monteiro Lobato para trabalhar em sala de aula com o público infantil. O objetivo é estimular o trabalho com a literatura brasileira por meio de recursos literários que possibilitem a apreensão do contexto cultural, social e político nos quais as obras são criadas, bem como as suas implicações em um pensamento pedagógico da Escola Nova.

  • URUPÊS – Monteiro Lobato
  • Referência: B869 L796u

Lançado em 1918, este livro apresenta pela primeira vez um dos personagens mais marcantes da literatura de Monteiro Lobato: o caipira Jeca Tatu, um “sombrio urupê de pau podre a modorrar silencioso no recesso das grotas”. Com ele, o autor antecipa uma postura ecológica ao defender o meio ambiente, explorando temas como a queimada e o desmatamento no Vale do Paraíba e alertando sobre as causas do empobrecimento do solo.

  • NEGRINHA – Monteiro Lobato
  • Referência: B869 L796n

Publicado em 1923, após o sucesso de Urupês, o livro de contos Negrinha, através de seus personagens, forma um retrato da população brasileira do início do século XX, com os quais Monteiro Lobato denuncia os bastidores de uma sociedade patriarcal pelos vestígios de uma persistente mentalidade escravocrata da sociedade, mesmo décadas após a abolição.

#insta
#facebook
Uniandrade © 2019