Estrutura Curricular

Estrutura Curricular

A elaboração da proposta curricular do programa atentou para a abrangência da crítica e da teoria literária nas esferas do pensamento e da informação, como, por exemplo, para as formas da mídia que divulgam a produção de profissionais da área. Percebe-se um interesse crescente pelo profissional habilitado nessa área, pois há cada vez mais meios de informação que a divulgam. Até mesmo a periodicidade das publicações científicas tem ficado mais frequente, com as mídias eletrônicas. E as mídias impressas possuem, em número expressivo, cadernos especializados em literatura.

Da mesma forma, as pesquisas feitas pela teoria literária vêm abarcando uma vasta área de conhecimentos. Se existem as correntes pós-estruturalistas, com seu interesse por conhecimentos produzidos pela historiografia, pela filosofia, pela psicologia ou psicanálise, pela sociologia, entre outras ciências, há uma demanda pela investigação estética do fenômeno literário, propugnada pelas correntes voltadas à recepção do texto. Uma investigação que também se debruça sobre as novas linguagens em sua interação com a literatura. Tais correntes vêm sendo incorporadas por programas curriculares de ensino básico e há uma crescente demanda pelo profissional que capacite os graduados que já atuam nesse nível de ensino. Nada disto poderia passar despercebido a um programa que tem objetivado, desde o princípio, atender a demandas emergenciais. As disciplinas que formam a matriz curricular foram articuladas para corresponder a uma formação consistente do corpo discente, coerentemente ajustadas à problemática da produção científica contemporânea e ao aprofundamento das pesquisas de interesse individual. Todas as disciplinas são eletivas, e cada orientador deve indicar quais devem ser cursadas por seus orientandos. Assim, a oferta de disciplinas contempla o maior contingente plausível de interessados, serve como ponto de partida teórico ao desenvolvimento das dissertações e fomenta a evolução de trabalhos vinculados às quatro linhas de pesquisa do programa.

A primeira linha de pesquisa, denominada “Políticas da subjetividade”, tem como interesse catalisador a problemática em torno do sujeito na pós-modernidade, e os modos pelos quais a literatura e os estudos literários têm abordado tal temática. A segunda linha de pesquisa foi denominada “Poética do contemporâneo”, e nela a ênfase recai sobre as especificidades da arte literária na época atual, trazendo à tona as discussões acerca da recepção das obras pelo leitor e também a relação de diálogo e incorporação, quando não de interdependência, estabelecida pelas diversas formas de linguagens abarcadas pelas artes. A terceira linha de pesquisa, “Literatura e intermidialidade”, abriga estudos da literatura e outras artes e mídias, tais como cinema, teatro, pintura e música, ao passo que a quarta linha, denominada “Escrita criativa”, aborda criticamente o processo de criação textual, compreendendo os mais diversos gêneros literários (narrativo, lírico e dramático).

Procurando atender aos prazos recomendados pela CAPES, o fluxograma do Curso de Mestrado em Teoria Literária adota a seguinte política de créditos: o mestrando deve totalizar 58 créditos, necessários à conclusão do curso. Estes estão distribuídos em atividades diversas, assim definidas:

Disciplinas: 24 créditos em disciplinas teóricas eletivas, ofertadas pelo curso;

Produção científica e apresentação em eventos: o mestrando deve publicar dois artigos científicos em periódicos indexados e participar, com exposição oral, de dois eventos ligados à área, totalizando tais atividades 4 créditos; além disso, deve ministrar palestra ou oficina sobre o tema de sua pesquisa;

Dissertação de mestrado: a atividade totaliza 30 créditos, subdivididos em 12 créditos para a qualificação do trabalho e 18 créditos para a defesa do mesmo.

O curso poderá aproveitar créditos provenientes de outros programas de pós-graduação, desde que alinhados com as linhas de pesquisa deste. O máximo a ser aproveitado totaliza 6 créditos. Inserido no programa, o mestrando também desenvolve atividades de extensão, como palestra ou oficina, a serem ofertadas aos demais. O interesse aqui é o aprimoramento das habilidades do mestrando para capacitá-lo como docente de nível superior.

De forma mais específica, a estrutura curricular determina a obrigatoriedade mínima da aprovação em 4 disciplinas, as quais valem 6 créditos cada uma. Desta maneira, o mestrando deve cursar 2 disciplinas, no primeiro semestre, e 2 no segundo. A aprovação dependerá da obtenção de, no mínimo, a média 7,0 em cada uma. Ao longo do ano, a frequência em 4 disciplinas possibilita ao mestrando desenvolver, simultaneamente àquelas, o trabalho de aprimoramento de seu projeto de pesquisa. No primeiro semestre do segundo ano, depois de ter realizado pesquisas e leituras preliminares, o orientando deve dar início ao trabalho de redação do texto da dissertação, para a qualificação e posterior defesa, que deverá acontecer de 24 a 30 meses do início das aulas do primeiro ano letivo.

compartilhar