Projetos de Pesquisa e Produção Docente

Projetos de Pesquisa e Produção Docente

Docente: ANGELA MARIA RUBEL FANINI

Projeto: SUBJETIVIDADE, IDENTIDADE E DISCURSO: A CRIAÇÃO DISCURSIVA DO(A) TRABALHADOR(A) NA LITERATURA BRASILEIRA A PARTIR DA ANÁLISE DIALÓGICA DO DISCURSO

Descrição: Este projeto vincula-se ao Grupo de Pesquisa “Discursos sobre trabalho, tecnologia e identidade”, registrado no CNPq, sob a liderança de Angela Maria Rubel Fanini, como também ao Gt da ANPOLL “Estudos Bakhtinianos”, inserindo-se no Programa de Pós-Graduação em Teoria da Literatura da Uniandrade, área de Letras.

O projeto analisa como o universo do trabalho, importante dimensão humana, é recriado pelo discurso literário em variados textos da Literatura Brasileira (romances, crônicas, contos, poemas). O trabalho é dimensão da infraestrutura (mundo material) e também da superestrutura (mundo imaterial das ideias), pois não só trabalhamos (homo faber) como emitimos discursos (homo simbolicus) sobre o trabalho. A literatura, sendo uma produção cultural, também se aproxima do mundo do trabalho, representando-o de um prisma que lhe é peculiar e específico. Nesse passo, este projeto de pesquisa se insere nessa problemática, mais especificamente tratando das relações entre trabalho, discurso, subjetividade e identidade. Sobre o mundo do trabalho inúmeros discursos milenares já foram emitidos. Desde a antiguidade grega, passando pela Bíblia até os nossos dias, milhares de vozes literárias, do cotidiano, jornalísticas, de base legal, do campo da Economia, da História e da Sociologia foram constituídas a fim de se refletir e organizar a atividade laboral de homens e mulheres. Nas análises da área de Letras essa temática vem sendo só muito recentemente tratada por alguns grupos nacionais de investigação.

As relações entre universo cultural e universo do trabalho serão pesquisadas a partir da representação literária destes em obras da Literatura Brasileira do século XIX e XX. O discurso literário é importante fonte de conhecimento acerca de como os intelectuais percebem as formações sociais, políticas, econômicas e culturais. Desse modo, a partir do âmbito literário é possível verificar como os escritores brasileiros veem o universo extra-literário do trabalho e como o fazem migrar para o interior do mundo ficcional, representando-o sob diversas maneiras que se constituem simultaneamente em uma visão peculiar de cada escritor e também em uma certa episteme referente a determinados contextos sociais e temporais. Essa representação se dá a partir de diversos ângulos em que afloram variadas ideologias a que os escritores estão vinculados. Também se pretende perceber como a subjetividade do trabalhador(a) representado(a) pelas personagens vai se constituindo nos textos estudados, imprimindo uma certa identidade tanto particularizada quanto genérica para o trabalhador. Na Literatura Brasileira temos já há alguns anos pesquisado sobre a constituição de certa identidade do trabalhador via romances canônicos e não canônicos e temos encontrado excelente material e corpus para identificar como o universo literário recria de modo diverso, por exemplo da Economia e da História, essa importante atividade humana. Como substrato teórico para o discurso literário, utilizar-nos-emos da obra de Mikhail Bakhtin e do Círculo russo, tratando sobremodo da dialogia, carnavalização, relação do autor com as personagens e constituição da subjetividade, aplicando a Análise Dialógica do Discurso. Compreendendo que o discurso literário conversa com outras vozes que também se manifestam sobre o trabalhador (a), levantaremos autores de outras áreas de interpretação da realidade. Nesse diálogo, conversaremos com Karl Marx, Friedrich Engels, George Lukács, Paul Lafargue, Robert Kurz, André Gorz, cujas obras são importantes fontes de conhecimento sobre a atividade laboral humana.

Participantes: Brunilda Reichmann, Greicy Pinto Bellin (docentes do Mestrado)

Instituição: UNIANDRADE

Linha de Pesquisa: POLÍTICAS DA SUBJETIVIDADE

Fonte de financiamento: CNPq (Bolsista em Produtividade em Pesquisa)

Participação em Gts:

GT do CNPq: Discursos sobre trabalho, tecnologia e identidade, liderado por Angela Maria Rubel Fanini, da Uniandrade.  

GT da ANPOLL: Estudos Bakhtinianos, liderado por Pedro Farias Francelino, da UFPB.

Publicação recente da professora:

GNOATO, G.; FANINI, A. M. R.; LOPES, M. Cultura da violência, dispositivo do amor-paixão, sexualidade e machismo: uma análise do discurso feminino em relacionamentos conturbados. Interthesis (Florianópolis), v. 14, p. 132-151, 2017.

Link: https://periodicos.ufsc.br/

 

Docente: ANNA STEGH CAMATI

Projeto 1: DO DRAMA AO PÓS-DRAMÁTICO: LINGUAGENS DRAMÁTICAS E CÊNICAS EM REVISTA

Descrição: O projeto objetiva estudar a subversão de protocolos tradicionais de raiz aristotélica e hegeliana em textos de teatro e na cena para promover um amplo debate sobre o desenvolvimento de novas temáticas, linguagens e proposições estéticas no campo das artes cênicas, do drama ao pós-dramático, tomando como base perspectivas teóricas literárias, artísticas, filosóficas e culturais de críticos da contemporaneidade, como Peter Szondi, Patrice Pavis, Hans-Thies Lehmann, Jean-Pierre Sarrazac, Josette Féral, Marvin Carlson, Anne Ubersfeld, Sílvia Fernandes, Ingrid D. Koudela, Luiz Fernando Ramos, entre outros. O projeto visa, ainda, abordar tópicos relacionados com questões identitárias e com a  mudança de estatuto da personagem no teatro, entre eles a crise do sujeito e a nova concepção da subjetividade a partir da segunda metade do século XIX; a personagem como processo e produto das relações sociais; a desconstrução ou fragmentação da personagem individualizada; a personagem costurada ou figura humana feita em pedaços;  a personagem alegórica construída a partir de uma dimensão coral com traços característicos de uma categoria social; a condensação de traços humanos;  a impossibilidade do retorno biográfico de si mesmo; a despersonalização ou desfiguração da personagem e o questionamento da própria possibilidade de existência identitária. O projeto relaciona-se com as disciplinas “Teorias do Teatro” e “Poéticas da Cena Contemporânea”.

Participantes: Assiria Maria Linhares Masetti, Cristian Abreu de Quevedo, Eliza Pratavieira, José Francisco Coelho, Thiago Henrique Zanotti, Selmi Machado Gonçalves, Marília Gomes Ferreira (discentes do Mestrado)

Instituição: UNIANDRADE

Linhas de Pesquisa: POÉTICAS DO CONTEMPORÂNEO

Projeto 2: MÍDIA(META)MORFOSES: RELAÇÕES ENTRE A LITERATURA E OUTRAS ARTES E MÍDIAS

Descrição: O projeto visa estudar as relações entre o texto literário e outras artes e mídias, como o teatro, o cinema, a televisão, a pintura, o romance gráfico e a fotografia em contextos culturais, históricos e geográficos diversos. Com base em perspectivas teóricas contemporâneas de Claus Clüver, Linda Hutcheon, Gérard Genette, Irina Rajewsky, Liliane Louvel, Henry Jenkins, Robert Stam, Randal Johnson, Ismail Xavier, Júlio Plaza, Haroldo de Campos, Patrice Pavis, Peter Burke e Silviano Santigo, as práticas (inter)textuais, (inter)midiáticas e (inter)culturais, que conduzem a novos modos de percepção e geram novos sentidos, serão investigadas, entre elas reescrituras, novelizações, écfrase, poesia visual, Sound Art;  a adaptação como fenômeno histórico, cultural e intermidiático; a transposição midiática ou tradução intersemiótica; a combinação de mídias diversas em contextos mixmídia, multimídia e intermídia; as referências intermidiáticas; os cruzamentos de fronteiras e a transmidialidade; a remediação e sua importância na criação de novas mídias e de mídias digitais; e as interfaces e hibridizações entre duas ou mais mídias. O projeto relaciona-se com a disciplina  “Poéticas da Reciclagem”.

Linha de Pesquisa: LITERATURA E INTERMIDIALIDADE

Participantes: Célia Arns de Miranda (docente do Mestrado, Jaqueline Kupka, Ana Claudia de Campos, Deise Cristina dos Santos Marques, Cristiane Fernandes, Tane Silvana Sumi Forgati (discentes do Mestrado) Larissa Degasperi Bonacin (docente da Graduação em Letras)

Participação em Gts:

GT da Anpoll: Dramaturgia e Teatro, liderado por Lourdes Kaminski Alves, da Unioeste.

GT do CNPq: Intermídia: Estudos de Intermidialidade do CNPQ, liderado por Thais Flores Nogueira Diniz da UFMG e Claus Clüver da Indiana University.

Publicação recente da professora:

CAMATI, A. S.; LEAO, L. C. Spatial Negotiations in the Brazilian Street Production Sua Incelença, Ricardo III, by Clowns de Shakespeare. In: Tom Bishop and Alexa Huang, Susan Bennett. (Org.). The Shakespearean International Yearboook. London e New York: Routledge, 2016, v. 16, p. 87-107.

Link: goo.gl/KVBpG1

 

Docente: BRUNILDA TEMPEL REICHMANN

Projeto 1: TRANSPOSIÇÕES MIDIÁTICAS E/OU RELEITURAS INTERMIDIÁTICAS

Descrição: Este projeto objetiva trabalhar as transposições midiáticas e as releituras de textos literários. A noção de “texto” é utilizada para significar qualquer trabalho criativo ou releitura, qualquer manifestação artística nas artes ou mídias. Considerando, no entanto, que Literatura e Intermidialidade é uma das linhas de pesquisa do programa em Teoria Literária, a visada literária sempre terá prioridade sobre outros objetivos; a literatura sempre terá primazia sobre outras expressões artísticas. Este projeto guarda-chuva pretende abarcar vários desmembramentos que serão desenvolvidos ao longo de anos e que resultarão em publicação. A maioria dessas tratará de romances e adaptações fílmicas, de peças teatrais e suas adaptações, de romances e adaptações em séries televisivas, entre outros, e terá como embasamento teórico os conceitos trabalhados por Gérard Genette (estruturas narrativas), Jacques Aumont (estética do filme), Brian McFarlane (romance para o cinema), Robert Stam (teoria do cinema), Claus Clüver (intermidialidade), Irina Rajewsky (intermidialidade, intertextualidade e remediação), dentre outros.

Linha de Pesquisa: LITERATURA E INTERMIDIALIDADE

Participantes: Helen Fabiana Sima e Cristiane Fernandes (discentes do Mestrado)

Projeto 2: A NARRATIVA SOB MÚLTIPLOS OLHARES

Descrição: Este projeto está relacionado à linha de pesquisa Poéticas do Contemporâneo e à disciplina Teorias da Narrativa e Teoria e Estudos Literários. O objetivo principal desse projeto é demonstrar como textos literários – contos, novelas e romances – podem ser lidos criticamente por vários ângulos. Os participantes deste projeto debruçar-se-ão sobre vários textos e, partindo de uma leitura minuciosa, verão qual das abordagens críticas do século XX e XXI, estudadas nas disciplinas mencionadas, melhor se aplica à análise da narrativa. Com isso, demonstrarão que o texto suscita múltiplos olhares críticos ou múltiplas leituras. As abordagens críticas trabalhadas são: crítica genética (Salles, Grésillon), estética da recepção (Iser e Jauss), descontrucionismo (Derrida, Culler), crítica psicanalítica (Freud, Jung, Lacan), estudos de gênero (Butler, Holanda), teoria queer (Foucault, Sedfwick, Butler, Rich), novo historicismo (Gallager & Greenblat), dentre outras.

Linha de Pesquisa: POÉTICAS DO CONTEMPORÂNEO

Participantes: Ana Claudia de Campos, Andressa Habibe, Fernanda Dante, Jaqueline Kupka, Márcio Nunes, Daniel Luiz Medeiros, Adriana Arruda, Tane Forgatti (discentes do Mestrado).

Participação em Gts:

GT do CNPq: Intermídia: Estudos de Intermidialidade do CNPQ, liderado por Thais Flores Nogueira Diniz da UFMG e Claus Clüver da Indiana University.  

GT da ANPOLL: Intermidialidade: Literatura, Arte e Mídias, liderado por Brunilda Reichmann, da Uniandrade.

Publicação recente da professora:

REICHMANN, B. T. (Org.). Assim transitam os textos: ensaios sobre intermidialidade. Curitiba: APPRIS, 2016. v. 1. 314p.

Link: http://www.editoraappris.com.br/

 

Docente: CÉLIA ARNS DE MIRANDA

Projeto: Participante no Projeto MÍDIA(META)MORFOSES: RELAÇÕES ENTRE A LITERATURA E OUTRAS ARTES E MÍDIAS, de Anna Stegh Camati

Descrição: O projeto visa estudar as relações entre o texto literário e outras artes e mídias, como o teatro, o cinema, a televisão, a pintura, o romance gráfico e a fotografia em contextos culturais, históricos e geográficos diversos. Com base em perspectivas teóricas contemporâneas de Claus Clüver, Linda Hutcheon, Gérard Genette, Irina Rajewsky, Liliane Louvel, Henry Jenkins, Robert Stam, Randal Johnson, Ismail Xavier, Júlio Plaza, Haroldo de Campos, Patrice Pavis, Peter Burke e Silviano Santigo, as práticas (inter)textuais, (inter)midiáticas e (inter)culturais, que conduzem a novos modos de percepção e geram novos sentidos, serão investigadas, entre elas reescrituras, novelizações, écfrase, poesia visual, Sound Art;  a adaptação como fenômeno histórico, cultural e intermidiático; a transposição midiática ou tradução intersemiótica; a combinação de mídias diversas em contextos mixmídia, multimídia e intermídia; as referências intermidiáticas; os cruzamentos de fronteiras e a transmidialidade; a remediação e sua importância na criação de novas mídias e de mídias digitais; e as interfaces e hibridizações entre duas ou mais mídias. O projeto relaciona-se com a disciplina  “Poéticas da Reciclagem”.

Participação em Gts:

GT da Anpoll: Dramaturgia e Teatro, liderado por Lourdes Kaminski Alves, da Unioeste.

GT do CNPq: Intermídia: Estudos de Intermidialidade do CNPQ, liderado por Thais Flores Nogueira Diniz da UFMG e Claus Clüver da Indiana University.

Publicação recente da professora:

MIRANDA, Célia Arns de; CAMATI, Anna Stegh (Org.). Shakespeare sob múltiplos olhares. 2. ed. Curitiba: UFPR, 2016. 347p.

Link: http://www.editora.ufpr.br/

 

Docente: EDSON RIBEIRO DA SILVA

Projeto: A REPRESENTAÇÃO DO TEMPO NA NARRATIVA LITERÁRIA

Descrição: Aprofundar estudos sobre a representação do tempo na narrativa literária, buscando uma explicitação mais detalhada dos modos pelos quais a impossibilidade de se representar a duração deu origens a diversas técnicas de representação da voz narrativa. OBJETIVO GERAL: Aprofundar estudos sobre a representação do tempo na narrativa literária, buscando uma explicitação mais detalhada dos modos pelos quais a impossibilidade de se representar a duração deu origens a diversas técnicas de representação da voz narrativa. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: a) aprofundar a noção de aporia na definição de tempo, conforme abordada por Ricoeur; b) relacionar a noção de aporia com as técnicas de representação do tempo na narrativa literária; c) atrelar a noção de aporia a um esforço bastante profícuo da narrativa literária em busca da compreensão do tempo; d) atrelar a busca por um reconhecimento do tempo a uma tomada de consciência, pelos escritores, das possibilidades do tempo como recurso narrativo, ou seja, como efeito estético e como enunciação; e) relacionar os conceitos de tempo desenvolvidos por Genette ao reconhecimento das possibilidades estéticas da narração e da narrativa; f) estender os estudos da duração feitos por Bergson ao esforço pela representação da consciência na narrativa, buscando demonstrar que o mesmo resulta em uma ilusão mimética; g) demonstrar a visão apressada presente em estudos clássicos sobre a representação do tempo na literatura, que acreditam ingenuamente na possibilidade da superação da aporia apontada por Ricoeur; h) atrelar o conceito de tempo vulgar, de Heidegger, aos modos pelos quais a narrativa busca representar a duração.

Linha de Pesquisa: POÉTICAS DO CONTEMPORÂNEO

Participação em Gts:

GT do CNPq: Teoria da Literatura e Estudos Culturais, liderado por Adriana Baggio, da Uniandrade

Publicação recente do professor:

SILVA, E. R. A enunciação em A hora da estrela. Curitiba: Appris, 2016. 261p.

Link: http://www.editoraappris.com.br/

 

Docente: GREICY PINTO BELLIN

Projeto 1: INTERTEXTUALIDADE E CONFLUÊNCIA NA OBRA DE MACHADO DE ASSIS

Descrição: O objetivo do projeto é analisar as relações de intertextualidade e confluência estabelecidas entre a obra machadiana e outras obras da literatura brasileira, portuguesa, latino-americana, norte-americana e inglesa. Apesar de tais relações já terem sido fartamente exploradas pela fortuna crítica do escritor, conforme evidenciam as análises de José Luiz Passos, Gilberto Pinheiro Passos e Marta de Senna, muitos aspectos ainda cumprem ser analisados, tais como as relações estabelecidas entre os textos de Machado e escritores norte-americanos, entre eles Henry James e Edgar Allan Poe. Os conceitos de paródia e emulação formulados, respectivamente, por Linda Hutcheon e por João Cezar de Castro Rocha são de fundamental importância para a compreensão das formas pelas quais Machado dialoga com outros textos, diálogo este que reflete, em última instância, a geometria do poder literário em contextos não-hegemônicos. Neste sentido, as reflexões de Pascale Casanova, Silviano Santiago e Boaventura de Sousa Santos, entre outros, fornecerão uma relevante contribuição para o levantamento dos aspectos relacionados à intertextualidade e confluência na obra de Machado de Assis, aspectos estes intimamente relacionados à questões políticas próprias de contextos marcados pelo que Antonio Candido chamou de “dialética do local e do cosmopolita”, materializada na oscilação entre imitar modelos estrangeiros e buscar uma identidade literária própria.

Linha de Pesquisa: POLÍTICAS DA SUBJETIVIDADE

Participantes: Fernanda Dante, Rosângela Rauen, Jaqueline Kupka, Celia Celli, Anderson Marcelo da Silva, Adriana Arruda (discentes), Jaison Luís Crestani, Aline Cristina de Oliveira (docentes, IFPR-Palmas)

Projeto 2: INTERMIDIALIDADE E INTERCULTURALIDADE NAS LITERATURAS ANGLÓFONAS DOS SÉCULOS XIX E XX

Descrição: O projeto objetiva investigar as mais diversas relações interculturais, intertextuais e intermidiáticas nas literaturas anglófonas dos séculos XIX e XX, tendo em vista a grande quantidade de adaptações das obras destas literaturas para o cinema, bem como o crescente interesse por questões relacionadas a relações entre as mais diversas artes e mídias. Com base em estudiosos como Claus Clüver, Irina Rajewsky, Linda Hutcheon e Silviano Santiago, procuraremos investigar as formas pelas quais as relações intermidiáticas e interculturais refletem (ou refratam, como quer Mikhail Bakthin) uma geometria de poder literário marcada, no século XIX, pela supremacia do Império Britânico e pela posição não-hegemônica das demais nações que possuíam o inglês como primeira ou segunda língua, entre elas os Estados Unidos e o Canadá, e caracterizada, no século XX, pelo imperialismo norte-americano e seus efeitos nas relações literárias de poder. Também dedicaremos uma atenção especial às teorias pós-colonial e feminista, considerando sua centralidade em estudos recentes a respeito das literaturas anglófonas e sua apropriação nas mais diversas mídias.      

Linha de Pesquisa: LITERATURA E INTERMIDIALIDADE

Participantes: Grace Cristiane Thiél, Rosângela Fayet (discentes do Mestrado) e Larissa Bonacin (docente da Graduação)   

Participação em Gts:

GT do CNPq: Teoria da Literatura e Estudos Culturais, liderado por Adriana Baggio, da Uniandrade

Publicação recente da professora:

BELLIN, G. P. A paródia em Machado de Assis e Camilo Castelo Branco: uma breve análise de Memórias Póstumas de Brás Cubas e Coração, Cabeça e Estômago. Matraga (Rio de Janeiro), v. 23, p. 88-105, 2016.

Link http://www.e-publicacoes.uerj.br/

 

Docente: LUIZ ROBERTO ZANOTTI

Projeto: LITERATURA BEAT: UMA GERAÇÃO NA ESTRADA

Descrição: Seguindo a linha dos estudos de cultura, o presente projeto busca verificar o processo de construção da subjetividade em romances e poemas pertencentes a fase da literatura americana conhecida como geração beat. A literatura beat que se estabelece no cenário da década de 1950, com um dos seus mais importantes poetas, Jack Kerouac retratando indivíduos desviantes como heróis, tais como uma personagem que era ladrão de carros e vigarista. Mas a geração beat também trabalha a ideia de um novo tipo de santo americano, assim um marginal era tido como uma pessoa importante frente ao “mito americano do sucesso” que tem forte influência das histórias do escritor americano Horatio Alger. Os romances de Alger explicam a maneira de se ganhar muito dinheiro e respeito através do trabalho árduo e da determinação, um conceito próximo ao da ascese intramundana de Max Weber. Para Weber, essa “ideologia” que de certa forma privilegia o trabalho à família, acaba negligenciando o relacionamento familiar, levando à falta de atenção e carinho para com os filhos. Na contramão desta ideologia, os beats trabalharam em suas obras ensinamentos zen-budistas, que na época, eram considerados como propaganda comunista. A ideia deste projeto é analisar como os beats trabalharam para tornar vigaristas e desordeiros em heróis, modificando o conceito do mito do sucesso americano.

Objetivos:

  1. Problematizar as relações de poder entre a contracultura e o “American way of life” na formação do sujeito.
  2. Investigar o conceito de indústria cultural e sua aplicação no contexto da análise da criação artística literária.
  3. Reflexão sobre a subjetividade nos autores da geração beat.
  4. Explorar as estratégias que nortearam o trabalho da escrita dos escritores da geração beat.
  5. Investigar como se processa o encontro entre a literatura e a sociedade nos textos destes autores.
  6. Discutir a obra de Jack Kerouac, Allen Ginsberg, Gregorio Corso, Willian Burroughs, entre outros em relação a prosa espontânea.

Linha de Pesquisa: POLÍTICAS DA SUBJETIVIDADE

Participação em Gts:

GT da ANPOLL: Intermidialidade: Literatura, Arte e Mídias, liderado por Brunilda Reichmann, da Uniandrade.

GT do CNPq: Teoria da Literatura e Estudos Culturais, liderado por Adriana Baggio, da Uniandrade

Publicação recente do professor:

ZANOTTI, L. R. Lampião e Ricardo III: o sertão medieval, hipertextual e intercultural. São Paulo: Catrumano, 2015. 136 p.

Link: https://pt.scribd.com/

 

Docente: MAIL MARQUES DE AZEVEDO

Projeto 1: O ESTATUTO REFERENCIAL DAS NARRATIVAS DE SI: QUESTIONAMENTOS E REFLEXÕES

Descrição: A distinção entre o ficcional e o não ficcional torna-se cada vez mais problemática nos dias de hoje, acompanhando a avalanche da literatura confessional de autoria de escritores. acadêmicos, cientistas, ou de pessoas que ocuparam transitoriamente o foco da atenção pública. Em paralelo, as redes sociais acompanham a tendência, fornecendo um veículo acessível para o impulso insaciável do ser humano de identificação narrativa. Cresce no mesmo ritmo a atividade de análise crítica sobre a escrita autobiográfica, que inclui desde o questionamento de autenticidade até estudos analíticos relevantes sobre o papel da imaginação nesses relatos. O presente projeto dá continuidade a outros que desenvolvemos anteriormente sobre o tema, que resultaram em dissertações, artigos e comunicações, além de incentivar pesquisas posteriores, e tem o objetivo central de desenvolver estudos sobre a poética das narrativas de vida. Constituem as referências principais as obras de Phillipe Lejeune, James Olney, Paul John Eakin, Leigh Gilmore e outros, conforme as particularidades das pesquisas desenvolvidas por alunos de graduação ou mestrado, regulares e especiais. Para o estudo indispensável dos mecanismos da memória na reconstituição do passado, utilizam-se como apoio teórico os conceitos de Maurice Halbwachs. No processo de rememoração, o relato autobiográfico conduz inevitavelmente à autoanálise e, como corolário, a questões de identidade. Decorre daí a pesquisa sobre as narrativas do “eu” como forma de afirmação pessoal, de identificação e de reivindicação de direitos. Outro aspecto a ser pesquisado é o cunho autobiográfico da obra de escritores canônicos e os projetos autobiográficos subjacentes à obra de escritores da atualidade. O paradoxo da autobiografia literária, seu jogo duplo essencial, indica Phillipe Lejeune, é pretender ser, ao mesmo tempo, discurso verídico e obra de arte. Neste particular, este projeto inclui o estudo específico dos conceitos de autoficção, a fim de pesquisar fontes teóricas e produção literária sobre o tema direcionadas para a disciplina “Escritas de si. Autoficção”, introduzida recentemente no currículo.

Linha de Pesquisa: POLÍTICAS DA SUBJETIVIDADE

Participantes: Luzia Maria Titski de Almeida, Einetes Spada e Rosângela Janea Rauen (discentes do Mestrado).

Projeto 2: A PÓS-COLONIALIDADE NA LITERATURA INDIANA EM LÍNGUA INGLESA DO SÉCULO XXI, NA VISÃO DE RUKMINI BHAYA NAIR

Descrição: O foco imediato deste projeto, aprovado para estudos de pós-doutorado pelo Departamento de Letras Modernas da FFLCH da USP, sob orientação da professora Dra. Laura Zuntini de Izarra, é a obra ficcional e ensaística da escritora indiana Rukmini Bhaya Nair, o romance Mad Girl’s Love Song (2013) e a coletânea de ensaios Lying on the Postcolonial Couch: The idea of indifference (2002). A autora examina nos ensaios as relações acadêmicas atuais entre o Ocidente hegemônico e a Índia subalterna, explorando os paralelos entre história literária – de natureza moderada e convencional ? e a historiografia subalternista, que questiona como se deve a escrever a história da Índia fora dos parâmetros históricos dominantes do colonialismo e, posteriormente, do nacionalismo elitista. O romance Mad Girl’s Love Song, narrado em primeira pessoa por uma personagem desequilibrada, reflete a esquizofrenia coletiva da condição pós-colonial e, em consequência, constitui o locus ideal para a introdução de questões de subalternidade. Assim, com o objetivo maior de traçar um perfil da literatura pós-colonial em língua inglesa, na Índia do século XXI, na visão de Bhaya Nair, este projeto estabelece relação dialógica entre suas concepções sobre pós-colonialidade e o processo de criação do romance. Neste, introduzem-se como personagens três grandes nomes do cânone literário ocidental, Sylvia Plath, William Blake e D.H. Lawrence, num exemplo óbvio de relações transtextuais, denominação abrangente usada por Gérard Genette, que se analisam na sequência. Verifica-se, ainda, a propriedade de aplicar à análise do romance o conjunto de sete pontos sugeridos por Bhaya Nair, a que denomina tentativamente de sensuous theory, para identificar as características distintivas do texto literário pós-colonial. Como material teórico complementar, além das obras básicas de Frantz Fanon, Edward Said e Homi Bhabha, recorre-se a Amartya Sen, Priyamvada Gopal e Aijaz Ahmad para informações sobre, respectivamente, cultura, história e identidade; historiografia subalternista e políticas da pós-colonialidade. Em textos discursivos de V.S, Naipaul e Salman Rushdie busca-se a visão do escritor indiano da diáspora sobre seu país de origem.

Linha de Pesquisa: POLÍTICAS DA SUBJETIVIDADE

Participantes: Grace Cristine Thiel (discente do Mestrado da Uniandrade), Luiz Carlos Felipe (discente do Mestrado em Estudos Literários da Universidade Estadual de Maringá – UEM).

Participação em Gts:

GT da ANPOLL: Literaturas Estrangeiras, liderado por Lyslei de Souza Nascimento da UFMG.

GT do CNPq: Intermídia: Estudos de Intermidialidade, do CNPQ, liderado por Thais Flores Nogueira Diniz da UFMG e Claus Clüver da Indiana University.

Publicação recente da professora:

AZEVEDO, Mail Marques de. The Literature of Testimony and Biographic Fiction in the Twenty-First Century. ABEI Journal (São Paulo), v. 18, p. 63-75, 2016.

Link: http://www.abei.org.br/

 

Docente: OTTO LEOPOLDO WINCK

Projeto: TEORIA DA NARRATIVA E ESCRITA CRIATIVA

Descrição: À luz da narratologia de Roland Barthes, Gérard Genette, Paul Ricoeur, Umberto Eco e Yves Reuters, pretende-se examinar os procedimentos e os elementos constituintes da narrativa, desde a focalização até a relação entre o tempo do narrado e o tempo do narrar, passando pelas anacronias (analepses e prolepses) e os demais elementos do texto narrativo. A partir disso, o nosso alvo é exercitar os mais diversos modos narrativos. OBJETIVO GERAL: estudar, analisar e exercitar os principais elementos da narrativa. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: a) ter uma visão geral do funcionamento interno da “máquina” narrativa; b) atualizar os conhecimentos de narratologia e articulá-los com as demais áreas dos estudos literários; c) com base nesses estudos, produzir textos narrativos em que esses elementos sejam experimentados; d) relacionar os modos de representação e os meios representados, servindo-se para tanto de aportes de Bakhtin, Walter Benjamin e Lukács e Franco Moretti.

Linha de Pesquisa: ESCRITA CRIATIVA

Participação em Gts:

GT do CNPq: Teoria da Literatura e Estudos Culturais, liderado por Adriana Baggio, da Uniandrade

Publicação recente do professor:

WINCK, O. L. Minha pátria é minha língua: identidade e sistema literário na Galiza. Curitiba: Appris, 2017. v. 1. 343p.

Link: http://www.editoraappris.com.br/

 

Docente: PAULO HENRIQUE DA CRUZ SANDRINI

Projeto 1: LITERATURA E OPRESSÃO

Descrição: Este projeto de pesquisa centra-se no estudo da literatura produzida entre o final do século XX e o início do século XXI na Europa Central, América Latina, África (de Língua Portuguesa) e Afeganistão. Tal literatura aqui abordada traz para o debate e pesquisa a experiência do exílio, da imigração e da experiência do sujeito social sob sistemas políticos e econômicos opressores. Aspectos de identidade, memória, diáspora e hibridismo cultural serão abordados a partir das narrativas de escritores desterrados ou que representem, em sua produção, a vida social sob regimes de exceção. Guerra, ditadura, repressão e necessidade econômica constituem os principais temas pesquisados para se tratar do sujeito oprimido enquanto representação ficcional. Ressalta-se ainda a importância da análise das experiências do deslocamento e das vivências sob regimes autoritários (plano temático) em convergência com o plano estético. Portanto, a análise do conteúdo temático é feita ao mesmo tempo em que se abordam os processos estético-criativos (linguagem e arquitetônica).

Linha de Pesquisa: POLÍTICAS DA SUBJETIVIDADE

Participantes: Fernanda Dante (discente do Mestrado)

Projeto 2: ESCRITA CRIATIVA E CONTEMPORANEIDADE

Descrição: Este projeto de pesquisa centra-se na discussão de fundamentos estéticos e discursivos presentes nos textos ficcionais de décadas recentes (produzidos no Brasil e no exterior). As abordagens de pesquisa se estendem ainda ao campo das adaptações de romances e contos para o meio audiovisual e de narrativas gráficas. Além disso, a criação literária é analisada a partir de suas relações com os recentes fenômenos midiáticos, bem como suas relações dialógicas com o texto extraliterário verificáveis nos processos de enxerto e mescla de enunciados em narrativas ficcionais contemporâneas. Os estudos acerca da arquitetônica ficcional possibilitam uma compreensão mais aprofundada das relações entre conteúdo e forma, criação e linguagem.

Linha de Pesquisa: ESCRITA CRIATIVA

Participantes: Aparecido Vasconcelos, Daniel Osiecki, André Knewitz, Fernanda Dante (discentes do Mestrado)

Participação em Gts:

GT do CNPq: Teoria da Literatura e Estudos Culturais, liderado por Adriana Baggio, da Uniandrade

Publicação recente do professor:

SANDRINI, P. H. C. David Toscana entre McOndo e El Crack (diálogos e divergências com a literatura latino-americana do século XX). Curitiba: Kotter Editorial, 2016. 328p

Link: http://kotter.com.br/

 

Docente: SIGRID RENAUX

Projeto 1:  LITERATURAS ESTRANGEIRAS EM PAUTA: DESAFIOS CRÍTICOS

Descrição: O tema de estudo para o próximo biênio “Literaturas estrangeiras em pauta: desafios críticos” tem, de início, por objetivos básicos: interrogar a noção de “literatura estrangeira” na atualidade, refletir sobre os desafios críticos que acompanham essa designação, bem como a demanda de uma necessidade de se repensar acerca da condição de “estrangeiro” e suas múltiplas reverberações nos dias de hoje e, além disso, efetuar um questionamento das relações entre literatura e nação; literatura e língua; literatura e território;  literatura e pátria; literatura e deslocamentos; literatura e processos (des)colonizadores; literatura e tradução; bem como sobre o ensino da literatura estrangeira.

Linha de Pesquisa: POLÍTICAS DA SUBJETIVIDADE

Projeto 2: REVELAÇÕES

Descrição: Este projeto da linha de pesquisa Escrita Criativa vinculado às disciplinas Escrita Criativa I e II consiste em estimular os mestrandos a compor seus próprios poemas. Esta ideia surgiu durante as aulas, nas quais os mestrandos estudam as poéticas de diversos teóricos e poetas, para, em seguida, aplicá-las a poemas selecionados – levando assim à sugestão de eles escreverem e apresentarem seus poemas. A finalidade seria de eles próprios averiguarem, por meio de sua criatividade, como um poema é uma conjunção de inspiração (natureza) e técnica (arte), ou, como afirmava Longino em Do Sublime: “a arte é acabada quando com esta [a natureza] se parece e, por sua vez, a natureza é bem-sucedida quando dissimula a arte em seu seio” (c. XXII, I). Foi uma revelação surpreendente, para os próprios alunos, de quanto talento e entusiasmo seus versos estavam impregnados. Este procedimento já apresentou resultados publicados nos blogs da UNIANDRADE a partir de 2016, como Revelações I e II, e como Revelações III e IV em 2017.

Linha de Pesquisa: ESCRITA CRIATIVA

Participantes: Ana Claudia de Campos, Anderson Marcelo da Silva, Kelly Piragine, Rosângela Rauen, Márcio Nunes (discentes do Mestrado).

Participação em Gts:

GT da ANPOLL: Literaturas Estrangeiras, liderado por Lyslei de Souza Nascimento da UFMG.

GT do CNPq: Intermídia: Estudos de Intermidialidade do CNPQ, liderado por Thais Flores Nogueira Diniz da UFMG e Claus Clüver da Indiana University.

Publicação recente da professora:

RENAUX, S. Modalities of representation and perception in Michael Ondaatje’s Anil’s ghost. Ilha do Desterro, v. 70, n. 1, p. 113-122, 2017.

Link: http://www.scielo.br/

 

Docente: VERÔNICA DANIEL KOBS

Projeto: LITERATURA EM TRÂNSITO: MÍDIAS E LINGUAGENS

Descrição: O projeto trabalha com as semelhanças e diferenças entre mídias e artes, com base nas concepções de vários autores, como: Lúcia Santaella, Julio Plaza, Gerard Genette e Robert Stam. Nesse conjunto, relacionam-se conceitos e instâncias importantes à teoria literária, a exemplo de: leitura, interpretação, autoria, intertextualidade, paratextualidade, etc. Os objetivos da pesquisa são: a) abranger sistemas sígnicos diferentes, para verificar recursos e linguagens específicos, característicos de cada arte/mídia; b) avaliar as implicações das relações interartes na produção cultural contemporânea. Com base no conceito de adaptação, sobretudo em se tratando do diálogo entre literatura e cinema, ressaltam-se as mudanças decorrentes da contextualização, determinada pela época em que se faz a adaptação e pelas características inerentes à sociedade do público receptor do filme. Nesse processo, enfatizam-se a universalidade e o status atemporal da obra-base/hipotexto, em decorrência dos temas, que, mesmo tendo sido explorados, no texto de partida, ainda permanecem relevantes e se adaptam ao perfil das sociedades atuais. Por fim, o projeto analisa a acentuação dos elementos verbais pelas ferramentas e pelos recursos das artes visuais, bem como a inserção de características e sentidos, atendendo à autoria dos profissionais responsáveis pela adaptação.

Linha de Pesquisa: LITERATURA E INTERMIDIALIDADE

Participantes: Lindamar de Fátima Galiotto, Dayane Copati, Mercedes Benigna Campos Rodriguez (discentes do Mestrado)

Participação em Gts:

GT Teoria da Literatura e Estudos Culturais da Uniandrade, liderado por Adriana Baggio.

GT do CNPq: Literatura e Outras Artes, liderado por Walter Lima Torres da UFPR.  

Publicação recente da professora:

KOBS, V. D. Cibertextos e hipertextos: a literatura na era digital. Cadernos de Letras da UFF, v. 27, p. 153-170, 2017.

Link: http://www.cadernosdeletras.uff.br/

compartilhar